Estável é quem já morreu!

Andei muito bem nos últimos meses. Tanto que nem via tanto sentido em alimentar essas páginas. Porque as páginas que escrevo aqui são uma espécie de terapia para mim mesma, mas que acabam dando informações para quem lê e se identifica.

Acontece que tem alguns dias que andei sapateando na lama. Primeiro as insônias novamente. Aquela coisa de ficar tagarelando por dentro na hora em que deito a cabeça no travesseiro. Depois as brigas por causa da falta de paciência com as pessoas. E então uma depressão por causa das brigas. E uma raiva enorme por perder a estabilidade!

Hoje acordei pensando que a instabilidade é a base da vida. Que não tenho que buscar a estabilidade. Só a morte é estável. Viver é instável. E aprendi uma vez num a aula de circo, que na corda bamba quem fica muito firme e rígido, nunca se equilibra. Precisamos então aprender a sermos flexíveis.

Um galho flexível dificilmente quebra com uma ventania. Já os mais duros, acabam se partindo.