Litemia 2: Meu Desastre Ecológico

Estou me sentindo uma verdadeira chernobyl humana. É que quando aumentamos a dosagem do lítio eu pensei que tudo ia melhorar ainda mais, porém…

Litemia 2: com o dobro de lítio minha litemia caiu pela metade. No mesmo nível de quem não toma lítio. É que eu inchei. Bastante! E, segundo a psiquiatra, o lítio se diluiu. Resultado: além dos óbvios inchaços e outras complicações físicas, as alterações de humor vieram com tudo.

Briguei com quase todo mundo. Minha irritação chegou ao ápice. Sentia minhas emoções como uma pessoa nua numa tempestade de areia. Qualquer mínimo grão era irritante. Extremamente irritante. Cheguei a doar minha cachorra (mas não levaram embora).

Para arrematar o desastre, minha TSH – o hormônio estimulante da tireóide – está aumentada. Ou seja, quase hipotireoidismo. Só o tempo vai dizer se essa taxa vai voltar ao normal. Nem sei o que dizer. Um pesadelo!

Não quero que fiquem com pena de mim. Fiquei fora do ar porque o inchaço comprometeu minhas mãos. Mas mesmo assim considero que a experiência foi válida. Fui à clínica psiquiátrica e vi outros bipolares em estado bastante doloroso. Um deles descoloriu todos os cabelos do corpo. A mãe dele estava lá, desesperada. Tinha gastado 12 mil reais com um mês de internação… Acabei me conformando com minhas limitações.

Agora nova etapa: de volta à lamotrigina. Quem sabe ela me emagrece?

O louco é que eu fico pensando: a lamotrigina ataca meu fígado – aumenta a Gama GT; o lítio pode acabar com meu rim e atacou minha tireóide; o valproato e seus amigos lesionam o estômago; o trilpetal me deixava muito sonolenta e com a língua dormente… Ou seja, tenho que escolher qual desastre ecológico pessoal poderei suportar. Por enquanto fico com o fígado porque minha Gama GT depois que parei a lamotrigina voltou ao normal, porque dá pra tomar alguma coisa para controlar e porque, na pior das mais horríveis das hipóteses, é mais fácil de transplantar (aiaiai meu catastrofismo!!!!).

Ainda estou um tanto irritada. Ontem eu estava deprimida. Amanhã desejo melhorar.

Litemia

Litemia. Exame para ver a dosagem do lítio. Serve para evitar a toxicidade e para ver se a dose está na faixa terapêutica. O certo é estar entre 0,6 e 1,2. Abaixo de 0,6 não é terapêutico. Acima de 1,2 é tóxico. Ou seja… Temos que estar no caminho do meio. Evitar passar os limites. E novamente estou na linha de fronteira.

Minha litemia deu 0,2. É pouco. Aumentamos a dose. Vamos ver…

Próxima litemia semana que vem.

Ando bem. Feliz em poder experimentar essa nova sensação de estabilidade. Algumas desvantagens, principalmente por não ver mais flores em algumas pessoas e situações. Mas fazer o quê? Melhor cuidar bem de mim…