Estreando hoje: nosso canal no Youtube!

Bipolaridade Medicada

Olá, meus queridos!

Fiquei muuuuuiiiiitos anos sem postar nada. Algumas pessoas inclusive mandaram mensagens preocupadas. Eu sei, nossos diagnósticos não sugerem boas coisas quando a gente some assim.

Acontece que estive tão bem durante esses anos e fiz tanta coisa que parei de postar. De alguma maneira eu não me identificava mais com essa personagem que eu criei aqui. Mas agora, com toda essa pandemia e loucura acontecendo em volta de mim, bateu a vontade de retomar tudo isso aqui.

Por quê? Porque acho que devo contribuir com a saúde mental daqueles que sofrem como eu sofri. Para que experimentem essa paz de estar livre dos piores sintomas. Nunca fiquei estável, como dizia um post meu antigo, estável é quem já morreu. Mas garanto que ando muito melhor hoje em dia. E graças aos tratamentos.

Preciso atualizar vocês sobre a jornada desde que parei de escrever até agora. Estou com um projeto “Bipolaridade Medicada”. Quero fazer mais posts e um podcast e um canal no Youtube para que as pessoas saibam que nossa situação tem controle. Não tem cura (será? ainda não. mas acredito que um dia teremos…). Mas tem controle!

É isso.

E vocês, meus queridos? Como estão?

Estável é quem já morreu!

Andei muito bem nos últimos meses. Tanto que nem via tanto sentido em alimentar essas páginas. Porque as páginas que escrevo aqui são uma espécie de terapia para mim mesma, mas que acabam dando informações para quem lê e se identifica.

Acontece que tem alguns dias que andei sapateando na lama. Primeiro as insônias novamente. Aquela coisa de ficar tagarelando por dentro na hora em que deito a cabeça no travesseiro. Depois as brigas por causa da falta de paciência com as pessoas. E então uma depressão por causa das brigas. E uma raiva enorme por perder a estabilidade!

Hoje acordei pensando que a instabilidade é a base da vida. Que não tenho que buscar a estabilidade. Só a morte é estável. Viver é instável. E aprendi uma vez num a aula de circo, que na corda bamba quem fica muito firme e rígido, nunca se equilibra. Precisamos então aprender a sermos flexíveis.

Um galho flexível dificilmente quebra com uma ventania. Já os mais duros, acabam se partindo.

A Insônia nossa de cada dia…

Gostaria de ter insônia durante o dia. É que tenho tanta insônia à noite que caio no sono com a maior facilidade no meio da tarde.

Estou aqui, de noite, sem pregar olhos, agoniada e tentando dormir. Não consegui e decidi vir para cá para perguntar a vocês se sofrem do mesmo mal. Sofrem?

Eu deito, tento relaxar, mas o pensamento não para. Daí me lembrei que de tarde, quando os efeitos da noite mal dormida me atacam, nem preciso fechar os olhos. É só cair em uma superfície minimamente confortável.

Sei dormir de dia, sei muito bem! Mas quando a noite chega, parece que desaprendi. Fiquei aqui pensando se isso tem a ver com ser bipolar. Se ser bipolar é ser do contra, talvez tenha mesmo a ver. Porque parece que meu organismo me diz: “não vai dormir agora, não vaiiii, não vaaai! não vai porque não quero! só vou dormir quando eu quiseeerrr! não porque sou obrigado!” Ahhh organismo,  vê se colabora aí!!! Minha terapeuta me ensinou que preciso dormir no escuro para aproveitar os ‘hormônios do crescimento’ para combater os radicais livres.

Deus me livre dos radicais livres!!!!