O sol brilha como a sertralina!

Estou aqui, de manhã cedo, com a mente livre do temporal que me atordoava até ontem. Ironicamente o clima da cidade me acompanha nessa mudança. A tempestade de ontem repleta de nuvens cinza-escuras deu lugar a um céu azul, limpo com um sol brilhante!

Sei que alguns podem ficar preocupados com o andamento do meu tratamento, afinal de contas se eu sou mesmo bipolar o uso de antidepressivos não é o recomendado. Mas afirmo com segurança que não estou nem perto de uma virada maníaca. Não descarto que daqui a alguns dias isso possa de fato ocorrer. Mas como eu já havia passado bons bocados com 150 mg de sertralina no passado, creio que estarei em equilíbrio enquanto a medicação ajudar. Estou ainda em 100 mg. Mas não vim aqui hoje falar de dosagens.

A psiquiatra que me atendeu por último e me salvou de um martírio que me acompanharia no feriado da semana santa disse que se eu continuar respondendo bem ao uso de antidepressivo com ansiolítico (tomo também olcadil), provavelmente meu diagnóstico seria o de depressão mista com transtorno de ansiedade. Agora que o remédio me trouxe os raios de sol nem me importo mais tanto com os rótulos tão enfatizados na postagem anterior.

Penso que talvez o psicanalista que me atendeu na quarta-feira passada e iria me ajudar apenas na segunda-feira (ontem) queria que eu experimentasse a expiação de Cristo no calvário e todas as coisas relacionadas à sexta-feira da paixão, ao sábado de aleluia com poucas chances de ressureição no domingo de páscoa. Ainda bem que uma estrela brilhou e me guiou até a Clínica Ser e eu pude me livrar da cruz que andava carregando!

Nos vemos por aqui então! Abraços de luz!

Lady Borderline